O Tarô e as Sete Leis Espirituais para o Sucesso

Outro dia, estava eu caminhando pelo vale perdido dos tapetes amarelos de minha livraria preferida e me deparei com um livrinho simpático que já não deve ser novidade para quase ninguém… Eu ando meio desligada, flutuante… Aquariana Clematis, se é que me entendem. Mas, sabiam que estou curtindo a experiência? Acho que Saturno se apaixonou por Netuno lá no meu mapa em fechamento de ciclo… Aniversário chegando – acredito ser isto.

O fato é que comprei “As sete Leis Espirituais do Sucesso” – o mais novo sucesso do Deepak Chopra. E, numa discussão meio ‘sexo dos anjos’ no orkut sobre o Tarô estar ultrapassado ou não, enquanto lia o livrinho simpático me propus uma brincadeira, uma visualização. Topam?

Vamos nos imaginar em uma grande universidade de Leis Espirituais Universais, na qual encontraremos amigos arcanos como professores. Após a descrição de cada uma das Leis, o professor com o qual poderemos aprender sobre ela será indicado. Aproveitem!


LEI DA POTENCIALIDADE PURA

Essa Lei parte do princípio de que somos, essencialmente, consciência pura e, consciência pura significa potencialidade pura. Nossa essência espiritual, o campo onde toda criação mental é possível. Seus atributos são o conhecimento puro, o silêncio infinito, o equilíbrio perfeito, a invencibilidade, a simplicidade, a felicidade.

Explica-se que a aplicação desta Lei dá-se essencialmente através da prática do silêncio e da meditação. “Experimentar o silêncio representa afastar-se periodicamente da atividade da fala e de outras atividades tais quais ler, assistir TV ou ouvir música. É reservar comprometidamente um tempo para simplesmente ser”. O silêncio total traz a lição do contato com a profunda essência do ser. “Ela está além do ego, é isenta de medo, livre, imune à crítica, não teme desafio. Não é inferior nem superior a ninguém; é pura magia, mistério, encantamento”. E é neste território, neste mergulho profundo em nós mesmos que encontramos os porquês de tudo o que nos assombra e também nossa criatividade infinita e conhecimento puro sobre nossa Alma, nossa Vida.

A explicação mais detalhada e específica desta primeira Lei, bem como sua aplicação ótima e desenvolvimento contínuo e eficaz com a Mestra Papisa – Sala 2, segundo andar.

LEI DA DOAÇÃO

O Universo opera por meio de trocas dinâmicas. Nada é estático. Dar e receber são diferentes aspectos do fluxo da energia universal. “Como seu corpo, sua mente e o universo estão em interação constante e dinâmica – qualquer interrupção nessa circulação de energia significa o mesmo que cessar o fluxo do sangue. Se o sangue pára, começa a coagular, estagnar. Por isso, temos a necessidade de dar e receber. Essa troca é o que mantém a nossa saúde e a afluência – do que for – circulando em nossa vida”. Podemos aplicar esta Lei, ou seja, podemos colocar a energia em fluxo a qualquer momento em que interagimos com o nosso ambiente, dando a ele (pessoa, bicho, coisa, flor etc) alguma coisa de nós – e nem precisa que seja algo material…Podemos oferecer carinho, atenção, afeto, amor, sorrisos…

Bem, maiores explicações de como dar e receber sem complicações, Mestra Temperança na sala 14 deste mesmo prédio.


LEI DO CARMA

Toda ação gera uma força energética que retorna da mesma forma e intensidade. Colhemos o que semeamos: se queremos amor, devemos semear amor; se desejamos alegria, devemos semear alegria; se desejamos amigos leais, sejamos nós leais primeiro! A Lei do Carma vem nos dizer que já nascemos ‘escolhedores’ profissionais – apenas precisamos aprender a ‘escolher conscientemente’. Isso quer dizer que não nos basta escolher – precisamos aprender a nos responsabilizarmos por qualquer de nossas escolhas sem cara emburrada, sem encrenca e sem dissimulação! É aqui que podemos traduzir o que ouvimos como ‘Cada um com seus problemas’ por ‘Cada um com suas escolhas’. A aplicação desta Lei consiste em: 1) Trazer para o campo da consciência todas as escolhas que fazemos o tempo inteiro, analisando sempre as suas conseqüências. 2) Treinar escolher através do coração e não da mente: temos que nos ligar nas sensações do corpo e do espírito mais que nos pensamentos.

Dois Mestres especiais desenvolvem este curso conosco, os dois ao mesmo tempo, sem departamentalização. Procurem pelos Enamorados e pela Justiça. Vocês escolherão o local da aula!

LEI DO MÍNIMO ESFORÇO

Este momento é como deve ser, porque o Universo é como deve ser. Podemos querer que as coisas sejam diferentes no futuro, mas agora, elas são como são e a nós, cabe-nos aceitá-las como são. “Quando estiver decepcionado ou triste com alguém ou com uma situação, lembre-se de que não está reagindo à pessoa ou situação, mas a seus próprios sentimentos. Esses sentimentos são seus e ninguém tem culpa por eles. Quando estiver pronto para reconhecer e compreender isso, estará pronto para assumir a responsabilidade pelo que está sentindo e mudar o que sente”. E, a responsabilidade não quer dizer que a gente precisa ficar se culpando eternamente pelo desconforto que sentimos: se aceitamos a situação ou as pessoas bem como são, a responsabilidade se torna a capacidade de ter uma resposta criativa para a situação ou a pessoa exatamente como ela se apresenta no momento e, esta resposta criativa poderá transformar este momento num momento melhor agora mesmo! Um jeitinho prático de aplicar essa Lei é parar de defender nossos pontos de vista como se fossem os únicos pontos de vista válidos de serem defendidos em todo o planeta… Mas, melhores explicações você conseguirá com o Mestre Eremita na sala 9.

LEI DA INTENÇÃO E DO DESEJO

Toda intenção e todo desejo já trazem em si o mecanismo da sua realização e ele se organiza lá no campo da potencialidade pura – aquele da Mestra Papisa. Se temos objetivos claros, referenciados em nosso profundo EU (da Mestra Papisa) e que sejam em benefício do ser humano, então é só liberar os desejos ao Universo e tudo virá naturalmente até nós. Nem precisamos ter medo porque estamos aqui atuando no campo que já aprendemos antes: o do silêncio, da potencialidade pura onde tudo é apenas o tempo presente e não há obstáculos porque estamos conosco. Uma super dica aqui é justamente o ‘tempo presente’. Não há passado, não há futuro; portanto não há medos, culpas ou ansiedades. Mantenha o foco, preste atenção no que está fazendo agora. Libere gentilmente seus desejos e o Universo cuidará de tudo para você. Que mamata! È no auditório, nas aulas de dança com o Mundo que você vai conseguir mais explicações e laboratórios práticos desta Lei.


LEI DO DISTANCIAMENTO

Essa Lei declara que apesar de a gente desejar de todo o coração alguma coisa, de termos lançado nosso desejo ao Universo, de termos a melhor das intenções no que desejamos, não devemos nos apegar aos resultados… Parece que se trata de uma proposta para ‘fingir’ que não quer muito ou até mesmo um ‘desconfiar’ que vamos conseguir de fato, mas ao contrário, trata-se da manifestação da fé inabalável em nosso verdadeiro EU que pode ter tudo o que deseja! “O apego vem da pobreza de consciência, porque o apego é sempre por símbolos. Distanciamento é sinônimo de consciência rica, porque oferece liberdade para criar. O envolvimento com distanciamento cria alegria e felicidade”. Se a gente se apega aos resultados, então queremos ‘ter certeza’ dos resultados. Se só temos certeza daquilo que já conhecemos, ou seja, que já se manifestou, então só temos certeza do passado. Agora, pensem, uma pessoa apegada ao passado acredita verdadeiramente no futuro? Eu sinto assim, se o passado já era e o futuro ainda vai ser, melhor é ficar por aqui, no agora que é e vivê-lo com afinco, leveza e responsabilidade. O treino aqui é tentar coisas novas, sair do campo conhecido para adentrar o campo das possibilidades infinitas. Despojando-nos do que conhecemos e nos lançando ao novo, ao mistério, à incerteza acabamos por conseguir enxergar que todo problema é, de fato, uma oportunidade para benefícios maiores e até evoluímos mais rápido, se for o caso, rsrsrs. A Mestra Estrela e o Mestre Louco trabalham juntos neste departamento, mas eu não posso informar sobre o local das aulas porque ele é determinado pelo acaso e pela boa sorte de cada um de nós!

LEI DO DHARMA OU DO PROPÓSITO DE VIDA

Muito bem! Se fosse a mais fácil, talvez seria a primeira das Leis a ser apresentada. Mas não é… É a última. Essa Lei nos diz que cada um de nós possui um talento singular para darmos aos outros, beneficiar a humanidade, o planeta, a galáxia inteira! Quer dizer que somos os melhores em ação nessa coisa única e que podemos ajudar a todos com esse nosso Dom. E que para saber a respeito deste Dom, a gente precisa se perguntar assim: “Se dinheiro não fosse problema e eu tivesse todo o tempo do mundo, o que eu faria?”. E, a partir daí, perguntar sempre “Como posso ajudar?” ao invés de “O que ganho com isso?”. A Lei do Dharma nos garante que a prosperidade vem na mesma proporção em que nos auto-realizamos e ajudamos os outros. Aqui também podemos contar com dois mestres (e que mestres!): O Mestre Mago e Mestre Pendurado nos aguardam na sala 13 para nos auxiliar na compreensão de tudo isso, para que possamos nos dedicar ao nosso Dom divino e, assim, realizarmos as modificações necessárias em nossa vida para estarmos o tempo todo mais perto e conscientes de nossa Presença Divina.

Aí estão as Leis Espirituais propostas por este livrinho simpático e moderno. As Leis não são modernas, no entanto. É assim mesmo… O que é divino não envelhece nem se exclui. Pelo contrário, é atual sempre e pode ser aplicado e delineado das mais diversas formas que será sempre substancial.

Só para constar, se dinheiro não fosse problema e eu tivesse todo o tempo do mundo, ajudaria muitas pessoas através do Tarô Terapêutico e perderia a conta do tempo escrevendo estes textos!!

Beijos a todos!

Alessandra Fonseca
(Taróloga)

Referência Bibliográfica: As sete leis espirituais do sucesso. Deepak Chopra.Rio de Janeiro: Ed. Best Seller, 2007.