A Jornada do Louco através dos Arcanos Maiores

O Louco segue seu caminho de forma imprevisível, sem preocupações, sem apegos e sem olhar para trás. Com a única certeza de que nada o segura, ele leva consigo apenas o essencial, a sua alegria de viver.

O primeiro encontro do Louco é com O Mago, o alquimista. O Mago ensina o poder da comunicação, concentração e da alquimia. É o primeiro contato direto que ele tem com os quatro elementos, ele aprende a canalizar as energias divinas e as respeitá-las utilizando em benefício próprio. Todos nós temos um Dom e para termos sucesso em nossas conquistas pessoais devemos saber escolher nossas ferramentas para enfrentar alguém ou alguma situação.
O Homem carrega dentro de si o princípio do poder criativo, a centelha divina, basta saber utilizar o nosso potencial da melhor maneira possível, impulsionando à materialização dos nossos projetos.

O símbolo do infinito sobre sua cabeça nos dá uma idéia de continuidade e das infinitas possibilidades da vida. Comparando a atmosfera entre as duas cartas, vemos uma grande semelhança, um dia de céu limpo, ensolarado. Vibrando uma energia ativa, o princípio masculino (yang), ação, iniciativa e impulsão.

O próximo encontro é com A Grande Sacerdotisa, podemos notar uma atmosfera diferente através da representação simbólica da carta. O Louco se depara com um ambiente escuro e com uma mulher sentada entre dois pilares, segurando um pergaminho ou um livro, leia-se Tora de cabeça para baixo. A Tora representa os 5 livros sagrados de Moisés, e os pilares representam as duas colunas de cobre que ficavam a frente do templo de Salomão (Jachin & Boaz), o primeiro templo na antiga Jerusalém.

A Sacerdotisa guarda vários segredos, ela mantém todos esses conhecimentos intactos e muito bem guardados. Antigamente os homens se reuniam em templos, grutas e até mesmo cavernas, em locais muito bem escondidos para estudarem esses conhecimentos transmitidos por seus antepassados. Dessa forma, esse arcano também representa a iniciação de um discípulo à alguma ordem ocultista, pouco se sabe como as coisas funcionam lá dentro, apenas os membros tem esse conhecimento. Portanto, o conselho da Grande Sacerdotisa é para ouvir a sua intuição, a sua voz interior, guarde seus planos, não conte seus projetos para ninguém, Orai & Vigiai.

Ao falarmos em arquétipos, a Sacerdotisa é uma mulher culta, reservada, de poucos amigos e que possui muitos conhecimentos. Talvez a forma em que ela aplica esse conhecimentos seja questionável pois ela não é uma mulher transparente. Nunca se sabe o que podemos encontrar por trás desse véu, portanto, confie desconfiando.

Mais adiante temos o encontro com a Imperatriz, com o nosso lado feminino, com o lado mulher, com a sensibilidade. Ela é amável, querida por todos, tem um jeito delicado e tenro de ser e de lidar com situações.

Ao mantermos nossos planos em segredo (Sacerdotisa), temos a chance de uma gestação feliz e tranquila. Esse arcano nos coloca em contato com o nosso lado materno, com os prazeres da vida, tudo o que é belo e todo o bem estar que isso nos proporciona, seja desfrutar de uma boa companhia ou degustar uma mesa cheia e farta com amigos. É o arcano das sensações, dos momentos de relaxamento e contemplação.

A fase é de engravidar das nossas idéias, nossos projetos pessoais. Pode representar a espera de um bebê, por isso eu falei das sensações e dos sentidos mais apurados, desde sentir o bebê na barriga, aos chutes, enjôos e etc. Portanto, é importante manter segredo, o útero é fechado para proteção da mamãe e do bebê, então relaxe, aproveite esse momento, curta essa gestação seja ela qual for e se prepare para o que virá. Pois muito em breve será o momento de dar vida à seu filho, ou sua idéia, ou um empreendimento.

O próximo no caminho do Louco é o Imperador. O que o Imperador tem a ensinar ao Louco? O poder.  Ele o prepara para liderar e para assumir responsabilidade, porque o Louco é leviano, distraído, é preciso saber aonde se quer chegar e traçar uma meta. O importante é estar no comando de si mesmo, de nossas atitudes e não perder o controle da situação seja ela qual for. O Imperador é muito mais do que um Rei, ele governa um império, no momento da tomada de decisão não podemos fraquejar, precisamos ser fortes, temos que ter estratégia e disciplina necessária para conquistar nossos objetivos.

“Aprender a dominar é fácil, mas a governar é difícil”
Goethe

No entanto, o Imperador também aprende um pouco com o Louco, aprende a ser menos rígido e inflexível, a saber relaxar e não levar a vida tão a sério. A troca entre eles é muito importante, saber dosar a energia dessas duas cartas e aplicá-las em nossas vidas é o grande ensinamento.

O Louco encontra no Hierofante o seu primeiro contato com a Fé e com a religiosidade. Há três pessoas para o Louco interagir nessa carta, o Sacerdote (orientador) e os outros dois indivíduos que parecem ouvir o que ele tem a dizer. Esse é um homem que preza a moral e os bens costumes.

Reparem na semelhança que esse arcano tem com a carta da Sacerdotiza. Duas figuras sentadas no meio de dois pilares. Qual a diferença? A diferença é que o Hierofante interage, socializa, divulga seu conhecimento. A Sacerdotisa retem, ela está envolta em uma atmosfera de secretismo, guardando seus segredos à sete chaves.

Neste momento o Louco já não se encontra mais sozinho, aprende a interagir em grupo, recebe conselhos e segue adiante.

Ele encontra Os Amantes, onde nasce uma vontade incontrolável de se relacionar, de fazer parte da vida de alguém, aqui está presente o desejo de se apaixonar e nas escolhas a fazer. O Louco nunca se deparou com isso antes, então ele não sabe o que fazer, está confuso, sem foco. No entanto, ambos estão sendo iluminados pelos raios solares, o céu está limpo. Tudo está propício para o Louco escolher seu caminho, escolher o caminho do bem, até mesmo o anjo guardião está presente na figura.

Essa carta me lembra a história de Adão e Eva no Jardim do Éden, na escolha de Adão e na influência que Eva teve nessa escolha. Podemos nos deparar com influências externas na hora de um momento de decisão, por isso é importante termos nossos valores e princípos bem definidos dentro de nós (O Papa) para quando chegar a hora de escolher, sabermos distinguir o certo e o errado, sem influência de terceiros, seguimos fortes e convictos que tomamos a decisão correta.

No arcano O Carro, o Louco toma o seu rumo em busca do sucesso de suas conquistas pessoais. Essa carta representa o movimento, a determinação, mas é o controle e a direção que pode definir ou não a sua vitória.

“[…] a direção é mais importante que a velocidade”
Clarice Lispector

Logo em seguida o Louco se depara com A Força e aprende a ser forte, a enaltecer seus pontos fortes e não mostrar suas fraquezas. Esse arcano representa a força interior e não a força física. A donzela parece domar a fera com suavidade, sem medo, sem violência e a fera obedece. O leão representa o ego, o orgulho, portanto seja gentil consigo mesmo, evite conflitos, não deixe o orgulho falar mais alto. Afinal, a vida não é um cabo de guerra, portanto saiba domar o seu leão interior.

O Eremita aparece no caminho do Louco para aconselhá-lo que as respostas para suas questões vem de dentro. Ele é um velho sábio que possuiu todo o conhecimento de uma experiência de vida, mas para isso ele teve que se afastar de tudo e de todos. Assim, pôde compreender à fundo sua essência divina.

“Ele não necessita de um guia. Ele é seu próprio guia, é seu próprio caminho, é sua própria filosofia, é seu próprio futuro. Sou tudo o que preciso e a existência é meu lar. Seja uma uma luz em si mesmo”
Osho

A Roda da Fortuna a seguir representa o movimento, a continuidade da jornada. Os altos & baixos da vida. Não fique tão apegado à um deles, saiba desfrutar dos dois momentos, não se pode viver sempre no auge, isso não faz parte da natureza das coisas. A única certeza é que tudo muda, nada permanece igual, a Roda segue girando…

“Desfrute o pico enquanto ele durar, e depois desfrute o vale, quando ele vier”
Osho

A Justiça, mostra ao Louco que a vida pode ser fria e dura. É a lei do homem em ação. Esta é uma carta voltada para o nosso lado racional e está ligada à uma questão de equilíbrio, frieza, objetividade por meio da razão ou força natural. Esse arcano informa que para toda uma ação há uma reação, uma consequência.  A Justiça pede por ajustes, trazer o que for necessário para se alcançar o equilíbrio emocional, físico, mental ou espiritual.

Com a balança, se pesa os pros e os contras e com a espada se toma uma decisão, assim, de forma direta, incisiva.
Lembre-se em buscar o equilíbrio sem dilacerar o outro ou a si mesmo.

Mais à frente o Louco encontra um homem Pendurado num tronco de uma árvore pelos pés, uma energia de restrição, sacrifício, paralização o envolve. O Homem está pendurado porque quer, porque precisa. Essa posição mostra que ele enxerga o mundo à sua maneira, ele tem sua própria visão acerca do que acontece à sua volta. As vezes precisamos abdicar, sacrificar algo em prol de um bem maior e muitas vezes estamos sozinhos nesse caminho. Momento de suspenção de nossos planos, projetos, idéias, compromissos (momentaneamente) e ainda corremos o risco de sermos mal compreendidos. Esse arcano me lembra a Paixão de Cristo, a Crucificação. O momento de maior sacrifício humano em prol do amor pela humanidade. É preciso morrer para renascer, para se iniciar um novo ciclo, uma nova era.

O arcano A Morte é o próximo no caminho do Louco. Ela representa a transformação, de todas as experiências que o Louco passou. Agora ele tem uma outra percepção do mundo à sua volta e que a mudança é inevitável e indispensável para o progresso. A Morte simboliza o fim de uma etapa, será ela melhor ou pior? Vai depender do tipo de mudança que escolhemos para gente.

Adiante o Louco encontra um Anjo na beira do rio, em Apocalipse 10:1-2, há um grande Anjo, que está sobre a terra e o mar, com um arco íris em sua cabeça e um rosto que irradia luz como o sol. Seu manto branco simboliza a pureza e sabedoria divina, essa imagem simboliza nossa ligação com o plano celestial. Ele derrama a água de uma taça para a outra e tem um pé na terra e outro na água. Isso representa a o equilíbrio do estado emocional e físico. A Temperança aconselha ao Louco a encontrar o meio termo, a moderação, misturando e combinando elementos para que eles possam trabalhar juntos, como um só. É a representação da união do masculino e feminino, ativo e passivo.

O Louco segue a jornada e encontra o arcano XV, O Diabo, fazendo referência as tentações do mundo material. As duas figuras aparecem com rabos para retratar o lado animalesco do homem. O pentagrama faz referência ao psiquismo invertido, o lado mal intencionado do homem. Se você fica com os pés separados e os braços estendidos, as formas do corpo formam um pentagrama. Se o corpo está virado de cabeça para baixo, os orgãos sexuais ficam mais elevados do que a cabeça dando ênfase aos desejos mais profundos. Agora, observe o glifo de Saturno na palma da mão direita do diabo, representando nossas limitações, fraquezas, restrições, assim como as duas figuras se encontram presas por uma corrente fazendo ligação à queda de Adão e Eva e tudo aquilo que foi corrompido, pelo orgulho, ego e vaidade.

O próximo arcano A Torre representa a queda do homem, e como lidamos com momentos de vulnerabilidade e rompimentos inesperados. Ao observarmos a carta, vemos um raio atingindo a torre e derrubando dois homens. Normalmente, antes do raio cair, há aviso de tempestade. Portanto, observe atentamente o rumo que sua vida está tomando, não permita se colocar em situação de perigo, evitando assim perdas futuras.

Depois da escuridão, A Estrela começa a brilhar no céu do Louco, um prenúncio de boa esperança. O Louco vai se reerguendo aos poucos, depois de um momento difícil, a confiança em si mesmo e a paz interior começam a ser restabelecidas.

O próximo arcano é A Lua, com tudo o que o Louco passou em sua jornada, ele se depara agora com seus traumas. Essa carta simboliza a psiquê, nossos medos, inseguranças, fobias, todas essas experiências traumáticas que ocorreram no passado e que foram profundamente reprimidas, estão sendo projetadas no momento presente e irão repercutir no futuro também. É um momento delicado para o Louco, o conselho é aceitar as coisas do jeito que elas são, não se iludir e se proteger contra as ilusões. Encare seus medos, siga a sua intuição e aguarde pacientemente pelo amanhecer.

Esse é o momento em que O Louco emerge para a luz e encontra O Sol. Esta carta é o símbolo da perfeita harmonia entre o consciente e o subconsciente, representa a energia vital, por isso, irradie quem você é a todo o momento. O Louco veio de um longo período de tristeza e confusão e agora finalmente chegou a um ponto de clareza e compreensão. O Sol trás a mensagem que você estava esperando há tanto tempo…

Depois de vivenciar a bonança, chegou o momento do ajuste de contas, O Julgamento. Necessidade de avaliar questões do passado para se tornar mais consciente de quem você é no presente e do que você quer para o seu futuro. Aqui o Louco tem a oportunidade de resolver questões que ficaram pendentes, mal entendidos para seguir adiante em paz com seu coração. É um despertar para novas idéias, novas realizações, e até mesmo renovações de situações do passado. O Mais importante é você se auto avaliar, pois chegou a hora da colheita.

O Louco segue certo de que sua jornada inicial foi concluída, ele vivenciou todo o tipo de experiência e adquiriu muito conhecimento mas não deixou de perder sua inocência. O Louco continua Louco mas com uma bagagem a mais, a experiência. O Mundo em síntese representa a culminação, a integração, o ponto mais elevado da jornada. Agora o Louco está preparado para seguir em frente, para finalizar todos os seus planos e dar início a uma nova jornada. A continuidade da vida….

T Furtado
TFurtado@zoho.com